21 de fevereiro de 2011


cheguei ao esgotamento esta gente igual, mecânica, e exacta da qual tudo o futuro é pervisibel irrita-me, muito. parti o meu mundo, desfiz-me da 'parva, engraçada, tola, hilariante', despi a alma e cobri o coração.  tento olhar mas não ver, ouvir mas não escutar. não sinto a necessidade de sorrir se não tenho motivos para tal. simplesmente percebi, chegeui ao auge da ironia, enquando lido com cobardia. apenas invento desculpas, e arranjo o mais pequeno motivo para discutir. consigo ficar indiferente a comentários ofensivos, a «estados no facebook», insultos, ou isolamentos.. se calhar porque me sinto livre, de consciência tranquila, sem medos, sem ilusões que tudo vai mudar, sem esperanças, simplesmente vazia!

8 comentários:

andreia mota disse...

obrigada amor, sim, fui eu que as tirei, mas é que eu tenho msm jeito é para fotografia, mas tu tens jeito pra escrever (:
amo-te ritix

déborapereira disse...

gostei do texto.
se precisares de alguma coisa, avisa... não pareces estar muito bem (;

déborapereira disse...

claro que dou!
debora_fernandes97@hotmail.com (;

déborapereira disse...

claro que não, estás á vontade :D

déborapereira disse...

não tenho pedido nenhum ...

déborapereira disse...

adicionei! resta saber é se vai dar (...)

andreia mota disse...

obrigada mi amor

Viagem Sem Retorno disse...

Gostei...

Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/